Exercício físico contra a depressão

Que o exercício físico regular faz bem maravilhas no corpo, já estamos cansados de saber. Mas uma pesquisa publicada pelo periódico científico americano JAMA Psychiatry, concluiu que o exercício físico também ajuda no tratamento contra a depressão, seja diminuindo seus sintomas naqueles ou evitando seu agravamento.

Primeiramente, vamos falar um pouco sobre o que é depressão e quais seus principais sintomas.

O que é a depressão?

Do ponto de vista fisiológico a depressão é resultado de um desequilíbrio hormonal que acontece no cérebro. E por ser um distúrbio neurológico, costuma ter uma longa duração e provoca tristeza contínua e perda de interesse em atividades que geralmente são prazerosas. Seu tratamento não deve ser apenas com remédios e palavras de estímulo. Embora os remédios e palavras ajudem  no tratamento da depressão, a prática regular de exercícios é fundamental para a cura. O exercício estimula o interesse por atividades do dia a dia e sua prática contínua alivia o desânimo.

Quais os principais sintomas?

Os sintomas de depressão costumam variar de paciente para paciente, manifestando-se de forma diferente em cada situação. Sua manifestação acontece tanto no físico (falta de energia, dores pelo corpo, dor de cabeça, alterações no apetite, alterações gastrointestinais, alterações psicomotoras) como no emocional (tristeza, perda de interesse, ansiedade, angústia, desesperança, estresse, culpa, dificuldade de raciocínio, indecisão, baixa autoestima, alterações no sono, pensamentos suicida) do paciente.

Os fatores que proporcionam o indivíduo a ter ou não depressão são muitos, entre eles a genética, alimentação, drogas, stress.

Como a prática de exercício físico ajuda a combater ou evitar a depressão?

 

Através do periódico americano, descobriu que treinos de resistência reduz os sintomas da depressão, seja nos indivíduos depressivos ou não. Mesmo que necessária uma análise mais desenvolvida, Brett Gordon, autor principal do projeto, afirma que a prática de atividade física regular aumenta o fluxo sanguíneo e é responsável por formar novas células cerebrias e liberar endorfina, o que resulta na queda dos sintomas depressivos.

Algumas melhorias observadas durante a realização da musculação são:

  • Recuperação da estabilidade emocional
  • Melhora de humor,
  • Autocontrole psicológico,
  • Maior disposição,
  • Interação social construtiva,
  • Positividade.

Os testes não indicam qual tipo de exercício é melhor para combater a depressão, mas que praticar ao menos alguns dias na semana é uma maneira efetiva de melhorar a saúde mental. Gordon também não sugere a substituição dos remédios pelo exercício, e sim o uso conjunto de todas as terapias.

 

Gostou? Compartilhe com seus amigos!